• Autor Elizabeth Kolbert
  • Ilustrador
  • Coleção História
  • ISBN 9789897070037
  • PVP 21,98 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição maio de 2015
  • Edição atual
  • Páginas 416
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 160 x 230 x 26 mm
  • Idade

Nos últimos 500 milhões de anos, a Terra passou por cinco extinções em massa, nas quais a diversidade da vida no planeta se reduziu drástica e subitamente. Hoje, a comunidade científica monitoriza a SEXTA EXTINÇÃO, prevista como o evento mais devastador desde o impacto do asteroide que matou os dinossauros há 65 milhões de anos. MAS, DESTA VEZ, O ASTEROIDE SOMOS NÓS.

Estamos a arruinar o planeta, e a grande velocidade

Pela primeira vez na história da Terra, uma extinção em massa está a ser provocada por uma única espécie: O HOMEM. Nos últimos dois séculos alterámos a composição da atmosfera devido às emissões de CO2 geradas pela nossa atividade; aumentámos a acidez dos oceanos e a temperatura média do planeta; transformámos mais de 50% da superfície da Terra, incluindo grande parte das florestas tropicais; expulsámos espécies dos seus habitats naturais e provocámos danos irreparáveis no ecossistema global. Consequência direta destes atos, mais de um quarto de todos os mamíferos da Terra está hoje em vias de extinção. O mesmo acontece com 40% dos anfíbios, um terço dos corais e dos tubarões, um quinto dos répteis e um sexto das aves.

A sexta extinção será o legado mais duradouro da humanidade

Neste livro, Elizabeth Kolbert traça a evolução das extinções no planeta e revela como o desaparecimento de várias espécies em todo o mundo está a destruir o equilíbrio dos sistemas naturais e a diversidade animal, colocando em perigo a vida na terra e a sobrevivência da humanidade.

Elizabeth Kolbert é jornalista da The New Yorker desde 1999, revista na qual publica regularmente reportagens extensas sobre ciência e aquecimento global. Antes de trabalhar na The New Yorker, Elizabeth Kolbert escreveu para o The New York Times durante 15 anos.

O seu trabalho sobre o aquecimento global, «The Climate of Man», venceu o National Magazine Award for Public Interest entre outros prémios. Recebeu também o National Magazine Award para recensões e críticas, bem como o Heinz Award, no mesmo ano.